quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Pastoral Pr. João Dutra em 26/09/2010

Amados irmãos e amigos, quando pensamos na crise moral e ética que assola nosso país, não podemos deixar de pensar nas crianças, adolescentes e jovens que estão em formação nestes tempos difíceis.
Sabemos que a diversidade do nossos país faz com que grupos destas faixas etárias vivam em realidades diferentes, mas nem por isso menos perigosas. Estamos no meio de uma verdadeira batalha e estas faixas etárias estão constantemente em situação de risco.
Essa geração tem maior liberdade, livre acesso ao mundo e poder de decisão, mas carece de experiência, sabedoria e ralacionamentos familiares para viver num mundo assim.
As crianças, adolescentes e jovens são muitos influeciáveis e parece que a Igreja brasileira ainda não descobriu isso. Todos os outros segmentos da nossa sociedade, da indústria do entreterimento ate o submundo dos traficantes de drogas, já descobriram essa vulnerabilidade destas faixas etárias. Aliás, esses segmentos disputam ferozmente a atenção de nossas crianças e adolescentes enquanto a Igreja displicentemente os coloca nos porões, em segundo plano ou até mesmo no final da lista de necessidades. Se você já parou para ver o conteúdo ao que eles têm acesso nas programações de TV, nos filmes, músicas, games, internet, nas escolas, nas áreas de lazer dos condomínios, nas festinhas, enfim, no dia-a-dia deles, você deve ter se dado conta do perigo que eles correm. A Bíblia é muito clara quanto a responsabilidade dos pais, mas ela também fala da influência, ensinamentos e exemplos das gerações mais velhas sobre as gerações mais novas. E o que dizer da importância que o próprio Jesus dava as crianças?
Nossas crianças e adolescentes são bombardeados por todo tipo de informação errada sobre família, amor, sexo, caráter e valores. Os meios de comunicação usam todo tipo de estratégia para alcançá-los, não medindo esforços para conquistá-los e nós, como Igreja, insistimos em enxergá-los como um problema inevitável e que se resolverá com o tempo. Pois o tempo é agora, o momento é este e o depois não pode existir.
Nosso desafio com Igreja é orar para que Deus nos dê essa consciência da situação de extremo risco das crianças e adolescentes da nossa comunidade, da nossa cidade e do nosso país. Oremos para que Deus levante pessoas com paixão por crianças, adolescentes e jovens carentes de abrigo, de alimento, de amor, de relacionamentos, de valores, de educação, de carinho, de modelos cristãos e da Palavra de Deus.

Pr. João Dutra é pastor sênior da Igreja Batista em Afonso Pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário